Manuel Bandeira é

Cântico dos cânticos

Quem me busca a esta hora tardia?
Alguém que trenas de desejo.
Sou teu vale, zéfiro, e aguardo
Teu hálito... A noite é tão fria!
Meu hálito não, meu bafejo,
Meu calor, meu túrgido dardo.

Quando por mais assegurada
Contra os golpes de Amor me tinha,
Eis que irrompes por mim deiscente...
Cântico! Púrpura! Alvorada!
Eis que me entras profundamente
Como um deus em sua morada!
Como a espada em sua bainha.


ç
Use as setas para folhear as páginas è