Heinrich Heine é

Que mundo grosso...

Que mundo grosso, gente avara,
E mais e mais sem mais sabor!
Diz de você... o quê, amor?
Que não tem vergonha na cara.

Mundinho avaro, mundo cego,
Sempre disposto a julgar mal.
Seu beijo doce é meu apego,
Sem falar na ardência final.

(tradução de Décio Pignatari)


ç
Use as setas para folhear as páginas è